segunda-feira, fevereiro 20, 2006

Funcho, Erva-doce, Anis-doce...


Quase toda a gente conhece as vantages de um chá de funchos, ou de um rico caldo de couves com funcho, ou das diversas bebidas e sobremesas confeccionadas à base de funchos.
De acordo com o fim a que se destina poder-se-á utilizar as folhas, as raizes e/ou os frutos (sementes).
Esta planta contém inúmeros beneficios salutares pois actua no aparelho digestivo, diminuindo dores e gases e prevenindo espasmos e cólicas em todo o organismo, inclusive as menstruais. O seu uso regular favorece a eliminação do excesso de muco do aparelho respiratório, funcionando como um expectorante. Contém potássio, o que lhe confere propriedades diuréticas e purificadoras do corpo. Ao ser utilizado por gestantes e na fase de amamentação, aumenta a produção de leite materno.
É indicado para dores musculares e reumáticas, bronquite e tosses, problemas urinários, anorexia, problemas digestivos do tipo diarréia, azia, vómitos, gases. Ingerido em grandes quantidades tem uma acção cicatrizante e é eficaz no combate à insónia (é relaxante).
Curiosidade: das sementes do funcho é retirado o óleo essencial para o fabrico de perfumes.

Meus amigos, desejo-vos um bom Carnaval e "Haja Saúde"!

sexta-feira, fevereiro 03, 2006







LIFE PRIOLO PROJECT (1120KB)

A 2ª Edição (revista e actualizada, com 83 páginas) do livro "O Priolo e a Floresta Natural de Altitude", de Jaime Albino Ramos (2005), já pode ser adquirida através da Loja da SPEA
Adquira o seu exemplar e ajude o Projecto LIFE Priolo (todas as receitas da venda do livro revertem a favor do Projecto LIFE Priolo)

PUBLICAÇÕES DISPONÍVEIS
- O Priolo e a ZPE Pico da Vara / Ribeira do Guilherme:
1ª Edição (15 páginas) do livro "O Priolo e a Floresta Natural de Altitude", de Jaime Albino Ramos (1995) (745KB)

- Documentação Técnica produzida no âmbito do Projecto LIFE Priolo:
* Plano de Gestão da ZPE Pico da Vara / Ribeira do Guilherme (Acção A1 do Projecto LIFE Priolo) (5559KB)
* Estudo de zonamento das actividades agrícolas e florestais na zona imediatamente adjacente à ZPE Pico da Vara /Ribeira do Guilherme (Acção A7 do Projecto LIFE Priolo) (2150KB)
* Estudo para Avaliação da Sensibilização da População em Geral e da Administração relativamente à Problemática do Priolo e da Vegetação Nativa (Acção F4 do Projecto LIFE Priolo) (1920KB)
* Estudo de Monitorização da População do Priolo - 2005 (Acção F6 do Projecto LIFE Priolo) (522KB)
* Estudo Hidrológico da Bacia Hidrográfica da Ribeira do Guilherme e Avaliação das Características Pedológicas da ZPE Pico da Vara/Ribeira do Guilherme (Relatório de Estágio) (3300KB)
- Relatórios de Execução do Projecto LIFE Priolo:
Relatório de Progresso 2003-2004 (2700KB)

O PROJECTO LIFE PRIOLO
IntroduçãoO Priolo (Pyrrhula murina) é uma espécie endémica da ilha de S.Miguel (Região Autónoma dos Açores), mais especificamente da zona montanhosa localizada a leste da ilha, que abrange os concelhos da Povoação e Nordeste. A população actual está estimada em cerca de 150 casais, confinados a fragmentos de vegetação natural (Laurissilva). Trata-se de uma das aves mais raras e ameaçadas do Mundo.
O Priolo é uma espécie protegida pelo Anexo I da Directiva Aves – 79/409/CEE, adaptada para a lei Portuguesa através do Decreto-Lei 140/99 de 24 de Abril, entretanto alterado pelo Decreto-Lei n.º 49/2005 de 24 de Fevereiro, e encontra-se incluída em várias listas de animais ameaçados, quer ao nível nacional (Livro Vermelho dos Vertebrados de Portugal), quer ao nível internacional (IUCN Red List of Threatened Animals), razão pela qual foi criada a Zona de Protecção Especial Pico da Vara / Ribeira do Guilherme (Sítio da Rede Natura 2000), que abrange toda a área de distribuição da espécie, visando assim a sua protecção e conservação. A Comissão Europeia e a BirdLife International incluíram-na na lista de espécies “globalmente ameaçadas na Europa”.
No fim do século XIX, o Priolo apresentava uma distribuição maior que a actual sendo, até considerado como uma praga nos pomares de laranjeiras e, desta forma, capturado regularmente. Para além disso o seu habitat natural, a Laurissilva, foi sendo substituída por pastagens e por plantações de criptoméria (Criptomeria japonica) e invadida por exóticas agressivas como o Incenso (Pittosporum undulatum), a Cana-roca (Hedychium gardnerianum), o Gigante (Gunnera tinctoria) e o Folhadeiro (Clethra arborea).
Objectivos do projectoO Projecto LIFE Priolo – “Recuperação do Habitat do Priolo na Zona de Protecção Especial Pico da Vara/Ribeira do Guilherme” é coordenado e gerido pela SPEA e tem por principal alvo a recuperação do habitat da espécie (que consiste na também ameaçada floresta Laurissilva dos Açores, caracterizada por um elevado grau de endemismo das suas espécies vegetais constituintes) na zona mais importante de ocorrência do Priolo, até ao final de 2008. Esta recuperação incluirá a plantação de um número significativo de espécimes de vegetação endémica, após a limpeza da vegetação exótica, pelo que dois importantes habitats serão directa e indirectamente beneficiados pelo projecto: a Laurissilva e o mato macaronésico. Para além do Priolo, ocorrem, também, na Laurissilva dos Açores, o Pombo-Torcaz-dos-Açores (Columba palumbus azorica), espécie prioritária de interesse comunitário, o Canário (Serinus canaria), espécie endémica da região Macaronésia e várias subespécies endémicas como o Melro (Turdus merula azorensis), a Ferfolha (Regulus regulus azorensis), a Toita (Sylvia atricapilla atlantis) e a Avezinha-de-Nossa-Senhora (Motacilla cinerea patriciae).
Desde a elaboração e publicação do Plano de Gestão (documento disponível para consulta) da ZPE, em Julho de 2005, que contou com o apoio e ratificação de todas as “forças vivas” (com tutela ou interesses directos) da área abrangida pela ZPE, que a equipa da SPEA tem dinamizado em simultâneo com o Projecto LIFE Priolo a implementação desse instrumento de gestão, válido até ao final de 2010, com a contribuição activa de todas as entidades com responsabilidades e tutelas na concretização das actividades programadas necessárias à consecução da missão principal: “Gerir os habitats da ZPE Pico da Vara/Ribeira do Guilherme em compromisso com um futuro sustentável, garantindo a conservação do Priolo.”

Laurissilva dos Açores - O habitat natural do PrioloA laurissilva litoral dos Açores é composta principalmente por espécies como o Pau-branco (Picconia azorica) e a Faia-da-terra (Myrica faya). Após a faixa litoral encontramos uma laurissilva termófila cujos representantes, para além do Pau-branco e Faia-da-terra, são ainda o Louro (Laurus azorica), a Ginja-do-mato (Prunus azorica), o Folhado (Viburnum tinus ssp. subcordatum) e o Sanguinho (Frangula azorica). Por último, encontramos uma laurissilva das nuvens a qual, para além do Louro, é caracterizada principalmente pela presença do Azevinho (Ilex perado ssp. azorica). O habitat natural do Priolo compreende a laurissilva termófila não costeira e a laurissilva da nuvens. Refiram-se ainda os matos macaronésicos pois, estes, como formações secundárias, são representantes dos diferentes estados de evolução das comunidades vegetais.

PARCEIROS:







Links relevantes
Programa LIFEhttp://europa.eu.int/comm/environment/life/home.htm
Projecto CLIMAAT - Clima e Meteorologia dos Arquipélagos Atlânticos
Previsões Climatéricas para a Vila do Nordeste

CONTACTOS:
Coordenação do ProjectoJoaquim Teodósio
Assistentes de ProjectoAntónio José FarragoloArtur GilElsa Silva Morada: SPEA - Projecto LIFE Priolo; Apartado 14; 9630 NORDESTETelefone / Fax: (+351) 296 488455Telemóvel: (+351) 912737243Correio Eléctrónico: joaquim.teodosio@spea.pt

terça-feira, janeiro 31, 2006

A vergonha da humanidade!

Copie esse post e cole-o no seu blog como iniciativa em defesa das baleias quanto mais gente entrar nesta campanha, mais pessoas ficarão cientes do que está acontecendo. E quem sabe alguma coisa será feita? Uma corrente de união dos blogueiros na internet. Coloque o endereço do seu blog no post.(seu blog aqui). Se você aderir à campanha nos avise para visitarmos seu blog.International — Os japoneses estão colocando vidas humanas em risco para caçar baleias, na região da Antártida. No último sábado, dia 14, um arpão foi disparado em direção às baleias e passou a aproximadamente um metro de distância dos ativistas do Greenpeace que estavam em um bote, tentando impedir a caça.leia mais aquiÉ a sua vez de salvar as baleiasInternational — Os botes infláveis já foram puxados para a terra. A tripulação está exausta, o barco precisa de combustível e é hora de levar a campanha para salvar das baleias dos oceanos para a rua principal. Veja a reportagem e o vídeo, conselho nao verem quem nao gosta de ver cenas fortes, a baleia leva mais de trinta minutos para morrer numa agonia constante!! veja video fundo pagina aquicomentáriosCada um ajuda como pode, não adianta você ficar aí sentada(o) sentindo pena das baleias e não fazer nada para ajudar, se você é blogueiro divulgue a notícia se todos blogueiros divulgarem será uma campanha grandissima e isso fará as autoridades tomarem providências. Copie o post no seu blog.copie da caixinha a baixo no seu post e coloque o titulo acima:"A vergonha da humanidade"

segunda-feira, janeiro 30, 2006

O post acerca do inhame foi sugestionado pelo amabilíssimo Dr.º Félix Rodrigues. Um abraço.

Converta-se aos beneficios do Inhame



Em termos medicinais o inhame é considerado um poderoso depurativo do sangue e agente importante na prevenção de diversas doenças, tais como a malária e a febre amarela. O seu consumo fortalece o sistema imunológico e aumenta a fertilidade nas mulheres. É rico em sais minerais como Cálcio, Fósforo e Ferro, além de vitaminas do Complexo B, principalmente B1 (Tiamina) e B5 (Niacina). O inhame é rico em carboidratos e pobre em gorduras, o inhame é grande fonte de energia. Possui Os minerais são essenciais ao organismo porque contribuem para a formação dos ossos, dentes e sangue. A vitamina B1 estimula o apetite, é essencial ao crescimento e facilita a digestão. A vitamina B5 evita problemas da pele, do aparelho digestivo e do sistema nervoso.
Entre nós, a parte do vegetal mais consumida é o tubérculo. O tubérculo, comum em supermercados, pode ser consumido cozido, como uma alternativa à batata, ou na forma de purés e sopas cremosas.
O inhame é muito indicado para a alimentação infantil pelo seu alto valor energético e por dar consistência perfeita às papinhas dos bebés.
Hoje, ao jantar, ele fará presença, ao lado de uma linguiça assada...

quinta-feira, janeiro 26, 2006

Para ser grande, sê inteiro

"Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive".

Ricardo Reis

Vou ser mamã!!!Já, em Agosto!


P.S. Ainda não me esqueci dos inhames...

quarta-feira, dezembro 21, 2005

Uma das muitas definições de Etnobotânica

Etnobotânica é um conceito muito vasto e para o qual existem variadíssimas definições. Na opinião de Harshberger (1895), é a ciência dedicada ao estudo das plantas usadas pelos povos aborígenes e actuais (em Mendiola, M. 2005). Recolhe os usos tradicionais dados às plantas nas sociedades rurais. Regista a cultura ancestral, que com o passar do tempo, poderia desaparecer. É uma ciência interdisciplinar, associativa e interpretativa das relações entre as plantas e as sociedades humanas, quer primitivas quer actuais. Esta relação sociedade - planta é sempre dinâmica: por parte da sociedade intervém a cultura, as actividades sócio económicas e políticas, e por parte de “planta”, o ambiente e suas floras diversificadas.

quinta-feira, dezembro 01, 2005

Etnobotânica dos Açores? O que é isto?!

Bem, já que ninguém perguntou (sinal de sabedoria) pergunto eu: O que se entende por Etnobotânica? É uma ciência? De que se ocupa? O que trata?, etc.
Pretendemos encontrar o fio à meada...
Bem, participem com as vossas opiniões e lembrem-se que numa sociedade democrática o envolvimento e a participação de todos é fundamental. Prometemos dar "feedback".